Super Cavaco a Presidente: 2005-11

2005/11/29

 
O que pensam os Portugueses

Apesar de não ser um sistema perfeito perfilho o sistema norte-americano, em que os jornais de referência assumem o seu candidato. É um sistema honesto principalmente em relação aos seus leitores e também à restante opinião pública. Em Portugal se tal sistema fosse adoptado seria mais fácil compreender manchetes como a do DN da passada 2ª feira. Mas não me parece que o mérito desta campanha e essencialmente o mérito do candidato possam ser atingidos por títulos ou coberturas tendenciosas. Os apoiantes do Prof. Cavaco têm de se consciencializar que no dia 22 de Janeiro ninguém pode ficar em casa. Pensar que está ganho e que não vale a pena ir votar é um erro grave que cada um de nós não pode cometer. Portugal só tem a lucrar, quer em termos económicos quer na estabilidade politica, com a resolução destas eleições na 1ª volta.

Rui Sá

 
Sindicatos apoiam Professor Cavaco Silva

Mais de sete centenas de dirigentes sindicais manifestaram ontem o seu apoio a Cavaco Silva, por considerarem que é o único candidato a Presidente da República que pode “reforçar a esperança e a confiança” dos portugueses. “O professor Cavaco Silva dá-nos a garantia que é o candidato que representa a estabilidade e a confiança. É aquele que mobiliza todos os portugueses”, afirmou o presidente da UGT e secretário-geral da Federação Nacional dos Sindicatos da Educação, João Dias da Silva, após um encontro com o antigo primeiro-ministro. João Dias da Silva afirmou igualmente que Cavaco Silva é “um garante de estabilidade”.
João Castro

2005/11/26

 
Cavaco à Primeira
Não foi só hoje em Lamego que esta frase se ouviu.
Em todo o País por onde já passou, os Portugueses dirigem-se ao Professor de uma forma carinhosa e com o rosto carregado de esperança e até de ansiedade para que chegue o dia das eleições Presidenciais. Portugal precisa de Cavaco, pois o modo como sempre soube gerir e representar os interesses nacionais no seu passado recente, fazem deste Homem um Homem integro e sério, afinal, caracteristicas de personalidade que outros candidatos não têm. Portugal anseia em se redescobrir através de um saber de experiência feito. A crise económico-social e de autoconfiança que Portugal atravessa actualmente tornou-se particularmente aguda, desenvolvendo-se num contexto em que o País se confronta criticamente com prementes desafios externos que só um Homem como o Professor Anibal Cavaco Silva, sabe e pode ajudar Portugal e os Portugueses a ultrapassar os novos desafios que se nos deparam. Cavaco vai ganhar à primeira, apenas e só porque o Povo Português assim quer e deseja.
Mafalda Ortigão

2005/11/24

 
O que pensam os Portugueses

Boa tarde,
Parabéns pelo vosso blog.
Aqui segue um contributo.

O Diário de Noticias publica hoje, 24 de Novembro, uma sondagem com os seguintes resultados:

- Cavaco Silva: 44%
- Manuel Alegre: 14.6 %
- Mário Soares: 10.6%
- Jerónimo de Sousa: 4.9%
- Francisco Louçã: 4.6 %

A soma destes valores dá 78.7%. Nas eleições o que contam são as percentagens sobre o número de votantes, descontando os votos nulos e brancos, portanto há que extrapolar os resultados desta sondagem para os 100% o que dá:

- Cavaco Silva: 55.9%
- Manuel Alegre: 18.6 %
- Mário Soares: 13.5%
- Jerónimo de Sousa: 6.2%
- Francisco Louçã: 5.8 %

A soma destes valores dá 100%.
A diferença entre a sondagem do Público de ontem e esta do DN está nesta extrapolação. Vejamos os resultados do Publico:

- Cavaco Silva: 57%
- Manuel Alegre: 17 %
- Mário Soares: 16%
- Jerónimo de Sousa: 5%
- Francisco Louçã: 4%
- ???: 1%

A soma destes valores dá 100%.
Um mês depois de se apresentar como candidato, de várias intervenções e entrevistas e sujeito a uma cerrada critica dos candidatos anti-Cavaco que gastaram quase todos os cartuchos uma previsão de 56%/57% para o candidato pró-Portugal é estar mais longe ou mais perto da vitória à primeira volta ?
É tudo uma questão de rigor jornalístico. Quem acompanha os comentários televisivos de António José Teixeira, Director do DN, percebe o sentido desta frase.

Aziz Issá
azizissa@altalogica.pt

 
Fica a justificação

Á autora das cartas ao Pai Natal, informamos que a colocação de uma das, foi recebida por mail sem fazer qualquer nomeação da origem. A acreditar nos comentários recebidos, percebemos agora que a autora do blog ENCANDESCENTE, a qual já tive o privilégio de jantar num encontro de bloggers, é então a verdadeira autora desta carta aqui publicada. Pelo facto "A César o que é de César".

 
Sondagem da Católica dá vitória
a Cavaco na primeira volta

Cavaco Silva ganharia as presidenciais com 57 por cento. Alegre, com 17 por cento, Mário Soares, com 16 por cento.
Cavaco Silva ganharia as presidenciais à primeira volta se as eleições de realizassem hoje, com 57 por cento das intenções de voto, segundo uma sondagem divulgada pela RTP. De acordo com a sondagem da Universidade Católica, Manuel Alegre, dirigente histórico do PS, com 17 por cento, teria uma vantagem mínima de um ponto percentual sobre o candidato apoiado pelos socialistas e ex-Presidente da República, Mário Soares, com 16 por cento. Os outros dois candidatos de esquerda estão empatados nesta sondagem: Jerónimo de Sousa, candidato apoiado pelo PCP, tem 5 por cento das intenções de voto e Francisco Louçã, que tem o apoio do Bloco de Esquerda, tem 4 por cento. Numa eventual segunda volta, Cavaco Silva voltaria a vencer, com 65 por cento, sendo Manuel Alegre aquele que obteria melhor resultado dos candidatos de esquerda, com 35 por cento. Frente a Mário Soares, o antigo primeiro-ministro conseguiria 72 por cento das intenções de voto, contra 28 por cento do antigo chefe de Estado e fundador do PS.
Esta sondagem para a RTP, Antena 1 e Público foi realizada pela Universidade Católica na segunda e terça- feira, através de 805 inquéritos telefónicos, tem uma margem de erro de 3,5 por cento e um nível de confiança de 95 por cento.
Marcelo Ricardo Sousa

2005/11/21

 
MEMÓRIAS

 
Cartas ao Pai Natal

Pai Natal
Acordei agora da sesta.
Tive um sonho original.
Conversei com a Maria
E achamos que não é sonho
Mas uma ideia genial!
Já fui ministro, primeiro-ministro
E duas vezes presidente deste país
Está na hora de mudar de ares
Aceitar novos desafios
Levar mais longe o nome de Portugal
Ou o meu nome... Como sempre quis.
Como tu tenho já uma certa idade
E no ventre a mesma proeminência
Decidi que para o ano quero ser o Pai Natal.
Portanto...
Olha pá faz as malas.
Desocupa a Lapónia.
Vou ser eu o Pai Natal.
Tem lá paciência.
Assinado: Mário Soares(Ex-deputado. Ex-Primeiro Ministro.
Ex-Presidente da Republica. Ex-Deputado europeu. Futuro Pai Natal)

2005/11/20

 
A continuar com esta maneira de fazer campanha,
Mário Soares arrisca-se a ser o candidato menos votado

Melhor maneira que esta para terminar a vida politica activa não poderia haver.
Este candidato estará a pagar por tudo de mau que fez ao País?
Estará a pagar pelos 992.809 KMS que correspondem a 22 vezes a volta ao mundo que fez enquanto PR?
Estará a pagar pelo mal que fez ao País e à nossa bandeira enquanto exilado?
Estará a pagar pelo mal que fez aos Portugueses que viviam nas ex-colónias que tiveram de regressar a Portugal de mãos a abanar?
Estará a pagar pela atitude que teve perante o seu camarada Manuel Alegre?
Estará a pagar por ter uma mandatária de campanha, oriunda do Bloco de Esquerda?
Estará a pagar pela campanha ordinária e suja que está a fazer contra o Professor Cavaco?
Estará a pagar pelo que circula por aí dizendo que os terrenos da OTA são seus?

Uma coisa é certa. Terminará a sua vida politica activa na lama.
João António Castro

2005/11/16

 
Envie-nos também a sua opinião

Continuamos a contar com as suas opiniões para o bem de Portugal.
Já sabe que para isso basta enviar um e´mail para:
SuperCavaco@portugalmail.pt

 
O que pensam os Portugueses

Comunicado

A Associação das Agências de Viagem Portuguesas (AAVP) quer aqui anunciar, que apoia o candidato Mário Soares à Presidência da República pelas razões de seguida mencionadas:
Durante os anos que ocupou o Palácio de Belém, Soares visitou 57 países (alguns várias vezes como por exemplo Espanha que visitou 24 vezes e a França 21 vezes), percorrendo no total 992.809 KMS o que corresponde a 22 vezes a volta ao mundo.


1986
11 a 13 de Maio - Grã-Bretanha
06 a 09 de Julho - França
12 a 14 de Setembro - Espanha
17 a 25 de Outubro - Grã-Bretanha e França
28 de Outubro - Moçambique
05 a 08 de Dezembro - São Tomé e Príncipe
08 a 11 de Dezembro - Cabo Verde

1987
15 a 18 de Janeiro - Espanha
16 a 26 de Maio - Estados Unidos
13 a 16 de Junho - França e Suíça
16 a 20 de Outubro - França
22 a 29 de Novembro - Rússia
14 a 19 de Dezembro - Espanha

1988
18 a 23 de Abril - Alemanha
16 a 18 de Maio - Luxemburgo
18 a 21 de Maio - Suíça
31 de Maio a 05 de Junho - Filipinas
05 a 08 de Junho - Estados Unidos\
08 a 13 de Agosto - Equador
13 a 15 de Outubro - Alemanha
15 a 18 de Outubro - Itália
05 a 10 de Novembro - França
12 a 17 de Dezembro - Grécia

1989
19 a 21 de Janeiro - Alemanha
31 de Janeiro a 05 de Fevereiro - Venezuela
21 a 27 de Fevereiro - Japão
27 de fevereiro a 05 de Março - Hong-Kong e Macau
05 a 12 de Março - Itália
24 de Junho a 02 de Julho - Estados Unidos
12 a 16 de Julho - Estados Unidos
17 a 19 de Julho - Espanha
27 de Setembro a 02 de Outubro - Hungria
02 a 04 de Outubro - Holanda
16 a 24 de Outubro - França
20 a 24 de Novembro - Guiné-Bissau
24 a 26 de Novembro - Costa do Marfim
26 a 30 de Novembro - Zaire
27 a 30 de Dezembro - República Checa

1990
15 a 20 de Fevereiro - Itália
10 a 21 de Março - Chile e Brasil
26 a 29 de Abril - Itália
05 a 06 de Maio - Espanha
15 a 20 de Maio - Marrocos
09 a 11 de Outubro - Suécia
27 a 28 de Outubro - Espanha
11 a 12 de Novembro - Japão

1991
29 a 31 de Janeiro - Noruega
21 a 23 de Março - Cabo Verde
02 a 04 de Abril - São Tomé e Príncipe
05 a 09 de Abril - Itália
17 a 23 de Maio - Rússia
08 a 11 de Julho - Espanha
16 a 23 de Julho - México
27 de Agosto a 01 de Setembro - Espanha
14 a 19 de Setembro - França e Bélgica
08 a 10 de Outubro - Bélgica
22 a 24 de Novembro - França
08 a 12 de Dezembro - Bélgica e França

1992
10 a 14 de Janeiro - Estados Unidos
23 de Janeiro a 04 de Fevereiro - India
09 a 11 de Março - França
13 a 14 de Março - Espanha
25 a 29 de Abril - Espanha
04 a 06 de Maio - Suíça
06 a 09 de Maio - Dinamarca
26 a 28 de Maio - Alemanha
30 a 31 de Maio - Espanha
01 a 07 de Junho - Brasil
11 a 13 de Junho - Espanha
13 a 15 de Junho - Alemanha
19 a 21 de Junho - Itália
14 a 16 de Outubro - França
16 a 19 de Outubro - Alemanha
19 a 21 de Outubro - Áustria
27 de Outubro - Turquia
01 a 03 de Novembro - Espanha
17 a 19 de Novembro - França
26 a 28 de Novembro - Espanha
13 a 16 de Dezembro - França

1993
17 a 21 de Fevereiro - França
14 a 16 de Março - Bélgica
06 a 07 de Abril - Espanha
18 a 20 de Abril - Alemanha
21 a 23 de Abril - Estados Unidos
27 de Abril a 02 de Maio - Grã-Bretanha e Escócia
14 a 16 de Maio - Espanha
17 a 19 de Maio - França
22 a 23 de Maio - Espanha
01 a 04 de Junho - Irlanda
04 a 06 de Junho - Islândia
05 a 06 de Julho - Espanha
09 a 14 de Julho - Chile
14 a 21 de Julho - Brasil
24 a 26 de Julho - Espanha
06 a 07 de Agosto - Bélgica
07 a 08 de Setembro - Espanha
14 a 17 de de Outubro - Coreia do Norte
18 a 27 de Outubro - Japão
28 a 31 de Outubro - Hong-Kong e Macau

1994
02 a 05 de Fevereiro - França
27 de Fevereiro a 03 de Março - Espanha (incluindo Canárias)
18 a 26 de Março - Brasil
08 a 12 de Maio - África do Sul (Tomada de posse de Mandela)
22 a 27 de Maio - Itália
27 a 31 de Maio - África do Sul
06 a 07 de Junho - Espanha
12 a 20 de Junho - Colômbia
05 a 06 de Julho - França
10 a 13 de Setembro - Itália
13 a 16 de Setembro - Bulgária
16 a 18 de Setembro - França
28 a 30 de Setembro - Guiné-Bissau
09 a 11 de Outubro - Malta
11 a 16 de Outubro - Egipto
17 a 18 de Outubro - Letónia
18 a 20 de Outubro - Polónia
09 a 10 de Novembro - Grã-Bretanha
15 a 17 de Novembro - República Checa
17 a 19 de Novembro - Suíça
27 a 28 de Novembro - Marrocos
07 a 12 de Dezembro - Moçambique
30 de Dezembro a 09 de Janeiro 1995 - Brasil

1995
31 de Janeiro a 02 de Fevereiro - França
12 a 13 de Fevereiro - Espanha
07 a 08 de Março - Tunísia
06 a 10 de Abril - Macau
10 a 17 de Abril - China
17 a 19 de Abril - Paquistão
07 a 09 de Maio - França
21 de Setembro - Espanha
23 a 28 de Setembro - Turquia
14 a 19 de Outubro - Argentina e Uruguai
20 a 23 de Outubro -Estados Unidos
27 de Outubro - Espanha
31 de Outubro a 04 de Novembro - Israel
04 e 05 de Novembro - Faixa de Gaza e Cisjordânia
05 e 06 de Novembro - Cidade de Jerusalém
15 a 16 de Novembro - França
17 a 24 de Novembro - África do Sul
24 a 28 de Novembro - Ilhas Seychelles
04 a 05 de Dezembro - Costa do Marfim
06 a 10 de Dezembro - Macau
11 a 16 de Dezembro - Japão

1996
08 a 11 de Janeiro - Angola

Com os melhores cumprimentos, Ismael Mendes de Medina

2005/11/15

 
O que pensam os Portugueses

Soares critica Cavaco, dizendo que este, só é candidato, porque se quer vingar da derrota de há 10 anos, dando a entender que ele não tem nenhuma razão válida e de interesse nacional para se candidatar. São razões, na opinião dele, meramente de interesse pessoal.
E quais foram as razões que Soares apresentou para se candidatar?. Preencher, o que ele considerava, um vazio de candidatos à esquerda e “evitar um passeio na avenida de Cavaco”. Mais, Soares, há poucos meses, quando a situação geral do pais era igualmente preocupante e quando questionado sobre se encarava a hipótese de se candidatar, respondeu, como é público, que isso era ”uma loucura”, “um erro brutal” e “uma falta de bom senso” e só decidiu avançar depois de o PS, na pessoa de José Sócrates, declarar que o apoiava.
Como se constata, Soares só decidiu candidatar-se, por razões de interesse nacional, não havendo nenhuma razão de interesse pessoal.
Miguel Correia
miguel.correia@maprel.pt

 
Que GRANDE entrevista

Cavaco Silva entende que "ainda é cedo para julgar um Governo que tomou posse há seis ou sete meses". Em entrevista concedida ontem à TVI, o candidato - que não quis comentar temas como o Orçamento ou o mandato de Jorge Sampaio - assumiu que, se for eleito, quer que o Presidente da República (PR), o Governo, a Assembleia da República e os partidos "remem para o mesmo lado."Instado a explicar como irá processar-se essa "cooperação estratégica", Cavaco Silva deixou claro que quer "estar acima dos partidos políticos" e acabou por dizer que a ideia passa por ter todos os órgãos de soberania mobilizados em torno de "objectivos nacionais". E apontou como exemplo o Ensino e a competitividade das empresas. "O PR pode ter uma acção empenhada e activa", disse.Sobre os poderes presidenciais, repetiu que respeita os que a Constituição lhe poderá conferir "Não tenho intenção de pressionar, insistir ou sugerir alterações aos poderes presidenciais". Cavaco justificou-se nesta entrevista com o seu passado como primeiro-ministro (1985-1995) - "participei em 29 conselhos europeus"; "qual o Governo em Portugal que teve mais sucesso no diálogo social?" - e também com o que fez nos dez anos seguintes, mas reforçou sempre que se candidata em nome do futuro, citando Churchill. O candidato contrariou a tese de que esteve contra quase todos os governos que lhe sucederam, em particular os de Guterres e de Santana "Saí há dez anos do Governo, mas nunca prescindi da minha intervenção cívica". E disse não compreender a saída de Guterres após as autárquicas de 2001 - "também tive um cartão vermelho e não saí" - e que Sampaio "tinha razões muito fortes e extraordinárias, razões " para demitir Santana. Cavaco manifestou "surpresa pela atitude dos EUA" no Iraque e disse que o PR ser um ouvidor é "tarefa normal."
Uma vez mais se revelou um GRANDE SENHOR, contrariamente ao bota-abaixo das outras candidaturas.

2005/11/13

 
É o Expresso que diz, não somos nós


Marcelo Ricardo Sousa

2005/11/10

 
Portugal precisa de si
http://www.cavacosilva.pt

 
O que pensam os Portugueses

O meu candidato
Depois de ser o melhor 1º. ministro, após o 25 de Abril (e não precisou de meter ou de tirar o socialismo(?) da gaveta) governou, a bem dos portugueses conscientes, e,sobretudo, a bem de Portugal. Nunca fugiu das dificuldades (nem do serviço militar, que até era obrigatório);e, fundamentalmente, não é, nem nunca foi, um traidor, pois não pisou a Bandeira Nacional, no estrangeiro. Pelo exposto e não só o Prof. Cavaco Silva, é o candidato ideal ao cargo de Presidente da Republica Portuguesa. Falar dos outros candidatos, para quê?O Sr.Jerónimo de Sousa e o Dr. Louçã, são o que são, e, terão os votos que merecem, dos seus grupos acompanhantes. O Dr. Manuel Alegre, pode e deve ultrapassar o Dr.Soares, em número de votos. Quanto a este, (MS), depois do que já disse, não vai para Belém, senão o 1ºministro criaria um novo imposto, para as fraldas presidenciais... e o povo, já está farto de impostos.
apadrao1@clix.pt

 
Contribua com a sua opinião

Continuamos a receber diariamente dezenas de opiniões dos Portugueses, relativamente às Presidenciais. Faça-se ouvir e colabore, enviando-nos a sua.
SuperCavaco@portugalmail.pt

2005/11/09

 
A imagem vale mais que mil palavras

Mariana Fernandes Pereira

 
O que pensam os Portugueses
O Homem das Maiorias
Professor Aníbal Cavaco Silva, um observador atento, estabeleceu uma estratégia bem deliniada e bem executada. Ele mesmo foi aparecendo sem se declarar como candidato. Sabendo que a onda política está a seu favor, controlou a sua ansiedade e deixou que o desejo de muitos se tornasse realidade (mais tarde...).
Esta estratégia usada pelo Professor Aníbal Cavaco Silva foi levada até ao limite onde a partir do qual se poderia começar a falar de um novo tabu. Até que enfim, Sr. Professor tivémos o seu anúncio mais que provável para o bem de todos nós. Cabe-me dizer ainda que para além da sua estratégia política, a sua educação e capacidade intelectual permitem-lhe não abdicar dos seus princípios que nesta sua candidatura, não vão de maneira alguma ouvi-lo dizer mal de quem quer que seja. Devo dizer que nós, apoiantes do Sr. Professor o devemos também fazer. Ser uma candidatura diferente, sendo que neste caso diferente é ser Melhor. Os ataques ofensivos ficam para os adversários, pois pensarão que assim vão conseguir destruir a imagem do Professor Aníbal Cavaco Silva, pelo que por fim irão ter uma grande surpresa. Assim vão dar-lhe mais importância e os portugueses saberão decidir no dia 22 de Janeiro de 2006 pelo melhor.
Na minha opinião é certo que o País deverá decidir pelo Professor Aníbal Cavaco Silva. Espero sinceramente que isso aconteça, pois creio no futuro numa estabilidade para o NOSSO PORTUGAL.

José Miguel Brás
www.josebras.blogspot.com

2005/11/06

 
O que pensam os Portugueses

Uma segunda volta, só adia o inevitável...
Sou um anónimo cidadão português mas também penso e tenho a minha opinião. Relativamente às próximas eleições presidenciais é evidente que o único candidato que reúne as condições para ocupar o cargo de Presidente da República é o Professor Cavaco Silva. O seu currículo diz tudo: foi o melhor Primeiro-Ministro pós 25 de Abril como todos os portugueses bem intencionados reconhecem- é uma pessoa rigorosa, inegavelmente honesta, não pressionável e que, no seu passado, nunca esteve envolvido em "esquemas", no mínimo, "nebulosos" que envolvem camaradas e amigos, traições, vinganças e denúncias (muito oportunamente) nunca investigadas. Dos restantes candidatos posso afirmar que o Dr. Mário Soares está fora do seu tempo e que já perdeu a lucidez indispensável a tão importante cargo; que o Dr. Manuel Alegre, apesar de ser uma figura simpática, não reúne as condições para ocupar o cargo. Um Presidente da República não pode ser um "poeta" um "lírico" pelo contrário, tem que ser uma pessoa com os pés bem assentes no chão; que o Senhor Jerónimo de Sousa e o Dr. Francisco Louçã, evidentemente, não têm a mínima hipótese de ser eleitos apenas desejam aproveitar a campanha eleitoral para tentar "vender" aos incautos as ideias da esquerda (mais retrógrada, o primeiro) e (radical e "caviar", o segundo). Dito isto e confiante na lucidez, já antes demonstrada, do Povo português, espero e desejo que Professor Cavaco Silva seja eleito logo à primeira volta porque o País está em crise e uma segunda volta custaria muito dinheiro e só adiaria o inevitável.
José Alberto Santos
jalbsantos@sapo.pt

2005/11/05

 
Agradecimento à Imprensa Nacional

Os jornais Público e Expresso e a revista Visão referiram num breve artigo o nosso blog, como o blog com mais qualidade das Presidenciais, enaltecendo o facto de ter sido o primeiro nesta matéria a dar voz aos Portugueses, exemplo esse que outros já estão a seguir neste momento, o que até aqui não faziam. Outros órgãos de comunicação social referem mesmo que, a continuar com o elevado número de visitas diárias e com a qualidade que os portugueses estão a contribuir com os seus textos, provavelmente era mais indicado que o mandatário da campanha para a área da informação e tecnologia do Professor Cavaco Silva, ponderasse melhor a ideia e entrasse em contacto com os autores deste blog para através deste, divulgar a mesma.
Por tudo isto e em nome dos meus colegas que colaboram neste blog e evidentemente de todos os Portugueses que até aqui o fizeram e vão certamente continuar a fazer, quero agradecer à Imprensa Nacional o apoio dado.
Marcelo Ricardo Sousa

 
O que pensam os Portugueses

O HOMEM CERTO
Aníbal Cavaco Silva merece ser eleito Presidente da República em 2006 porque:
> Foi o melhor primeiro-ministro de Portugal nos últimos 30 anos.
> É honesto, corajoso, sóbrio e sensato.
> Não é demagogo, ostentador e intolerante.
> Ama verdadeiramente o seu país.
> Tendo sido vítima de um presidente "bloqueador" não cairá no erro de encarnar esse papel.
> Está em sintonia com as linhas essenciais de actuação deste governo.
> Sabe perfeitamente qual o rumo de que Portugal actualmente necessita.
> Tem perfeita consciência e conhecimento real dos problemas que afectam o país.
> É um self-made man que subiu na vida à custa do seu esforço.
> Tem sensibilidade para questões sociais, ao contrário do que se apregoa.
>Não assumiu recentemente posições sectárias nem truculentas, nem mostrou evidente admiração pela acção política desenvolvida pelo Bloco de Esquerda.
> Não tem uma visão maniqueísta do mundo.
> Tem um percurso pessoal, académico e político extremamente coerente.
Nuno Moreira de Almeida
artedeopinar@hotmail.com

 
O que pensam os Portugueses

Eanes volta a apostar em Cavaco, e…
… Menezes, não se esquece, mas perdoa-lhe, obviamente!...

E, agora? Sampaio foi, de facto, o Presidente de todos os portugueses? Depois da “telenovela” sobre a dissolução de um Parlamento, sustentado por uma maioria estável e, implicitamente, ter aberto um “grave” precedente… vai sair pela porta grande, ou pela pequena? E, em relação ao (des) governo, liderado pelo seu “camarada”, quais foram as suas posição e coerência? Porque não aconselhou o “desertor” Barroso a cumprir o seu mandato, como Primeiro – Ministro de Portugal, ou (em alternativa) porque não o aconselhou a nomear, sua sucessora, e 2.ª figura do seu governo – Manuela Ferreira Leite – em vez de Santana Lopes? E, agora? Ramalho Eanes – o 1.º Presidente da República do Portugal Democrático e que, aquando da sua 1.ª eleição, foi apoiado pelo, então, PPD de Sá Carneiro, pelo PS de Mário Soares e pelo CDS de Freitas do Amaral (agora, “Socialista”!) – na sua qualidade de Presidente da Comissão de Honra da candidatura de Cavaco, está, enfim, a apostar no “cavalo” certo? Estará convencido que, desta vez, a “família soarista” vai, enfim, invernar em Janeiro de 2006, tal como a “família salazarista” invernou em Abril de 1974? Afinal, quem foram os “coveiros” da “falência técnica” de um país que, na sua longa história, até chegou a ser um enorme Império? De facto, os portugueses têm todas as razões para já não acreditarem nos “políticos”, principalmente naqueles que contribuíram para a (des) governação deste pobre país, durante as três décadas da chamada “Democracia”! Sim, e agora? Perante os candidatos que se perfilam para ocuparem a cadeira da Presidência da República, em quem vamos votar? No Jerónimo (discípulo de Cunhal)? No Louçã (bem – falante “bloquista”)? No “camarada” Soares (“monárquico – burguês – caduco” e, ainda por cima, assumido profissional da política que o povo, cada vez mais, rejeita)? No Alegre (poeta) que, incrivelmente, foi rejeitado pela “máquina” do seu próprio partido? Ou, no candidato que, à partida, mais garantias poderá oferecer, em termos de colaboração com os governantes e no sentido da recuperação da economia do nosso país? Se é o próprio “animal político” (Soares) quem afirma que o Prof. Cavaco Silva é competentíssimo em Economia e Finanças, então (sem querer) está a apelar aos portugueses para elegerem Cavaco a próximo Presidente da República! Afinal, o grande mal que assola o nosso país é, de facto, a sua grave situação Económica – Financeira! Esta mensagem, volta a ser "O ponto de vista de um eanista que se identifica com a social – democracia do PPD / PSD” (então, sonhada pelo ilustre estadista (que foi) Sá Carneiro) e que, desde 1998, passou a ser um social – democrata, identificado com Luís Filipe Menezes. Nesta expectativa – tal como disse o digníssimo Presidente da Câmara Municipal de Gaia (in JN – “Grande Plano”, de 10.12.2004) – “Acho que há muitos social – democratas que não vão esquecer a atitude que (Cavaco) teve para com o partido, num momento difícil (…). Esquecer, não vou. Perdoar, talvez…”. Está perdoado e, por isso… «Obviamente, “Cavaco”».
José Duarte Amaral
Vila Nova de Gaia

2005/11/04

 
O que pensam os Portugueses

Não venho exaltar as qualidades do Professor porque todos as conhecemos, até e principalmente os seus adversários, facto que já os fez perder o norte a razão e a educação.
Venho pedir a todos os que estão com Cavaco nesta caminhada que ajudem os indecisos e os enganados a tomar a decisão certa de votar Cavaco. Não é difícil, nem tão pouco embaraçoso apresentar às pessoas os argumentos que nos fazem votar Cavaco, eles são verdadeiros, simples, limpos, estão aí à vista; na pessoa, no carácter, na seriedade, no rigor, na obra etc.
Por tudo isto mãos à obra, a campanha não é feita só pelo candidato mas também por quem acredita nele.Na família, no trabalho, com amigos, temos a obrigação moral como Portugueses de mostrar às pessoas a verdade dos factos, sem precisarmos de recorrer, como os demais, à ofença e à mentira. A nossa causa chama-se Aníbal Cavaco Silva e a sua força assenta na verdade.
M. Santos

 
O que pensam os Portugueses

É só impressão minha, ou o Exmº Sr. Dr. Mário Soares "A Democracia sou eu!" seria o Américo Tomás do Séc.XXI? A cortar fitas e a dizer baboseiras, já bastou aquele Almirante!
edgarcastelo@lycos.com

 
O que pensam os Portugueses

Fiquei espantada com a entrevista de ontem na TVI,de Mário Soares a Constança Cunha e Sá .
Então o Dr Mário Soares , nunca ouviu o Professor Cavaco a Falar de globalização? Espanto-me com o Mário Soares ,só queria dizer que eu já ouvi o Professor a falar sobre esse assunto.Esta conferência está mesmo publicada no livro que a A.C.E.G. publicou quando desta conferencia.
Ana Ottolini
ottolini@netcabo.pt

2005/11/03

 
Relembrar o passado

Mário Soares na sua ultima entrevista (ontem), falava em certa parte, que um Presidente da República não deve só saber de economia. Tem de saber história, geografia, filosofia. Estaria a referir-se a Manuel Alegre?Ou estaria a relembrar quando no seu exilio em França apedrejou a bandeira Portuguesa? É que este último facto não deve nem pode ser apagado da história do nosso país, não senhor...
Mafalda Gonçalves Ortigão

 
De norte a sul do país, os Portugueses dizem de sua justiça

Tal como as sondagens aumentam diariamente e catapultam o Professor Anibal Cavaco Silva para o cargo de Presidente da República já na primeira volta, também o blog cresce e enriquece com os comentários recebidos de norte a sul do país. A cerca de 2 meses e meio das eleições e a continuarmos com esta pré-campanha sem insultos, apenas falando e escrevendo sobre o país, apanágio do nosso candidato e da sua candidatura, estaremos todos aqui a celebrar a sua vitória, a vitória dos Portugueses, a vitória de Portugal no dia 22 de Janeiro de 2006.
Óscar Saraiva Almeida

 
O que pensam os Portugueses

O prof. Cavaco Silva é para Portugal um catalisador de ambição. Alguém que transmite uma imagem de rigor, competência e seriedade, tão necessária para que Portugal se torne numa cultura de excelência.
Melhores Cumprimentos
Carlos José Martins
Carlos.JMartins@lisnave.pt

2005/11/02

 
O que pensam os Portugueses
Esta fase da pré-campanha tem demonstrado que o candidato Mário Soares parece não conseguir libertar-se do estigma de se ter candidato contra o Prof. cavaco e não porque "ainda" tem algo para dar a Portugal. Assim temos assistido a uma campanha pela negativa, veja-se a rábula do politico profissional e das pensões, onde o Dr. Soares não apresenta uma ideia positiva além de demonstrar um enfado e alguma falta de delicadeza (estou a ser brando nesta afirmação) quando confrontado pelos jornalistas.Se da parte da campanha do Prof. Cavaco não se cair na tentação de responder na mesma moeda penso que este facto contribuirá para uma vitória mais esmagadora do Prof. Cavaco
Rui Sá
ruidesa@sapo.pt

2005/11/01

 
A sua opinião é lida

Envie-nos a sua opinião ou mensagem de apoio à candidatura do Professor Anibal Cavaco Silva à Presidência da República. Teremos gosto em a publicar no dia.
SuperCavaco@portugalmail.pt

 
O que pensam os Portugueses

A derrocada de Soares
Não é que o assunto de Soares signifique grande coisa para a actual eleição presidencial, mas queria referir que a derrocada começou a tomar forma naquele dia em que, acabado de cumprir o segundo mandato presidencial, quando já toda a gente o via a calçar as merecidas pantufas, se prestou àquele papel deplorável de animar as hostes socialistas no assalto ao Parlamento europeu.Naquela altura, fiz um esforço para peceber essa atitude, e acabei por ver que só havia uma maneira lhe emprestar algum significado: essa maneira seria posicionar-se, não à cabeça da lista como um qualquer líder em funções que já não era, mas sim em 13º lugar da lista, o que realmente transmitia uma mensagem bem clara aos portugueses: se me quiserem ver na Europa, então terão que dar ao PS não um, mas mais deputados do que ao conjunto dos restantes partidos, ou seja treze lugares entre os 25 que estavam em disputa.Se tivesse tomado essa atitude, estou em crer que seria eleito na mesma, talvez até com o meu voto, e hoje em dia ninguém teria a coragem de lhe contar os anos de idade, porque essa só se mede em anos na falta de outra bitola.Porém, para minha surpresa ele foi colocado (ou colocou-se)à cabeça da lista e como tal, em vez de puxar pelo seu partido, ficou a reboque do mesmo, e até hoje nunca mais saiu dessa posição.
(Carlos Valente)
arturamos@portugalmail.com

 
O que pensam os Portugueses

MAS...O QUE SE PASSA???
O Dr.Soares quando entrevistado na SIC no passado 19 de Maio, quando lhe foi colocada a pergunta "Então e uma Nova candidatura à Presidência de República" ? ? ?
Resposta de Soares: "Isso seria uma loucura" ! ! !
Será que está Louco ?!?!?
A melhor resposta foi a que o próprio deu !
Há Mais a Comentar ?!
Nobre Furtado / Ex. Presidente de Câmara de Monchique
nfurtado@elefante-turismo.com

 
O que pensam os Portugueses

Um dos grandes desígnios socialistas.
Um dos maiores objectivos de Soares para atingir uma (sua) sociedade ideal. Uma das maiores razões para não ser socialista e não votar Soares.O desejo do fim das desigualdades é um dos maiores erros históricos dos socialistas. Os comunistas são mais directos. Exigem a igualdade. Na prática é o mesmo. E traduz-se numa sociedade tipo “Robin dos Bosques”.Criar riqueza não é fácil. Exige criatividade, esforço, persistência, produtividade, atenção, concentração, preocupação. Que chatice...Se os ricos estão ali mesmo ao dispor… vamo-nos a eles.Criar riqueza não é fácil. Assim, vamos pelo caminho mais curto. Dá-se aos pobres, não uma nova riqueza, criada a partir de trabalho e que resulta do e no crescimento do País, mas a riqueza já existente. Pois. Usamos a que já existe. A que já foi criada e está disponível. Tão fácil. Mais impostos, mais um escalão do IRS, umas quantas taxas sobre fortunas, rendimentos da bolsa e dormidas turísticas e já está. O sistema Robin dos Bosques. O sistema da inveja. Do querer o que os outros criaram.O País nada ganha com esta abordagem. Desta forma, o dinheiro foge (já não há soluções como as de há vinte anos e a circulação de capitais é mais fácil). O País perde. Há menos investimento, menos emprego, mais pobreza. O País fica mais pobre e as desigualdades, em vez de diminuírem, aumentam. E da pior forma: os que menos têm passam a ter ainda menos. Os outros? Já puseram os seus bens a salvo, criando riqueza em qualquer outro lado…Soares já era.Nem igualdade, nem o fim das desigualdades.O que temos de fazer, mesmo, é aumentar o rendimento dos que menos têm, independentemente do crescimento simultâneo do rendimento e da riqueza dos que mais têm. Ou seja, só com uma sociedade produtiva, em crescimento, poderemos obter mais-valias para as populações mais desfavorecidas.Nem igualdade, nem o fim das desigualdades. Queremos uma sociedade onde os que menos têm possam obter o mínimo necessário. Para que possam ultrapassar plataformas de segurança e de qualidade de vida, que lhes criem, de novo, desejos de ter mais. Sem prejuízo que essa sociedade, mais rica e produtiva, possa criar (e suportar – o nosso actual problema) mecanismos de suporte social para quem, efectivamente, precisa deles.Sociedades como as que defende Soares, que tiram aos ricos para dar aos pobres, estão condenadas no nosso Mundo. O actual, globalizado. Os ricos vão embora, com a sua riqueza. Os que sobram (ricos menos ricos e classe média-alta) são fiscalmente “saqueados”. A sociedade é nivelada por baixo. Mais pobre e sem qualquer energia (potencial económico) para alavancar e recuperar. Moribunda. Morre.Não resulta.Soares foi (para alguns) fixe. Hoje, está totalmente fora de contexto. Nada a ver com a idade. São as ideias. Façam-lhe ver isso. Quando diz "os Portugueses sabem..." ou "os Portugueses querem..." deveria ser mais comedido. Não fale por todos. Fale lá pelos dele... Tirem-nos desse filme. Não lhes demos carta branca para falar por nós. Finalmente, todos os outros 4 candidatos de esquerda têm visões de sociedades deste tipo. Igualdade e Fim das Desigualdades. Resta Cavaco Silva na diferença. Por um Portugal Maior.Assim, sim. Maior. Com mais riqueza. De forma a que será mais simples assegurar que TODOS poderão ter a sua quota-parte. A sua. Não a dos outros...
garaujo@netmadeira.com

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Counters
Free Counter on-line